Foto: Reprodução/Fabio Rodrigues – Agência Brasil

O governo pôs na agenda de pauta o retorno do carro popular ao mercado brasileiro, mencionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas últimas semanas. Em discurso em Brasília na semana passada, o petista criticou o preço dos automóveis no Brasil. “Qual pobre pode comprar carro popular por R$ 90 mil?”, questionou, afirmando que seu governo iria fazer carros a preços “mais compatíveis e aumentar as prestações”.

De acordo com o Estadão, fontes do mercado afirmam que o governo pensa em preços na casa dos R$ 45 e R$ 50 mil para um carro simples. Os dois modelos mais baratos hoje são o Fiat Mobi e o Renault Kwid, a R$ 69 mil. O debate ressurgiu após a Fenabrave, associação de concessionários de veículos, e montadoras passarem a defesa a necessidade de oferta de carros mais baratos para recuperar o mercado. O setor passa por crise por falta de semicondutores.

O governo pôs na agenda de pauta o retorno do carro popular ao mercado brasileiro, mencionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas últimas semanas. Em discurso em Brasília na semana passada, o petista criticou o preço dos automóveis no Brasil. “Qual pobre pode comprar carro popular por R$ 90 mil?”, questionou, afirmando que seu governo iria fazer carros a preços “mais compatíveis e aumentar as prestações”.

De acordo com o Estadão, fontes do mercado afirmam que o governo pensa em preços na casa dos R$ 45 e R$ 50 mil para um carro simples. Os dois modelos mais baratos hoje são o Fiat Mobi e o Renault Kwid, a R$ 69 mil.

O debate ressurgiu após a Fenabrave, associção de concessionários de veículos, e montadoras passarem a defesa a necessidade de oferta de carros mais baratos para recuperar o mercado. O setor passa por crise por falta de semicondutores.

Fonte: Metro1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *