Foto: Reprodução/Wilson Dias – Agência Brasil

Mais de mil relatórios sobre a pandemia foram realizados por agentes de inteligência do governo Jair Bolsonaro (PL), que, mesmo apresentando uma projeção de aumento no número de casos e mortes no Brasil, foram negligenciados e mantidos em sigilo, durante a gestão. É o que aponta a reportagem da Folha de São Paulo.

Mantidos em sigilo, os documentos foram produzidos ao menos de março de 2020 a julho de 2021. Ainda de acordo com a informação, os arquivos passaram pela supervisão da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que carimbaram os papéis.

Além de desprezar as recomendações do Ministério da Saúde, cuja situação foi presenciada publicamente pelos brasileiros pelo mundo, o material reitera que o então presidente Bolsonaro ignorou as proporções da pandemia, através  das orientações dos agentes de inteligência e dentro do próprio Palácio do Planalto.

Na época da pandemia, o GSI estava sob o comando do general Augusto Heleno, enquanto a Abin era chefiada por Alexandre Ramagem, atual deputado federal pelo PL do Rio. Ambos eram aliados leais de Bolsonaro e, apesar de contatados pela reportagem, optaram por não se pronunciar.

Fonte: Metro1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *